Abrir ou montar empresa de serviços em vigilância e segurança

By  |  Comentário

Abrir ou montar empresa de serviços em vigilância e segurança de sucesso, sem cometer erros, aprenda tudo, investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, captação de cliente, financiamento, mão de obra especializada, atendimento e muito mais…

Ficha Técnica
Setor da Economia: Terciário.
Ramo de Atividade: Prestação de Serviços.
Tipo de Negócio: Empresa de Serviços em Vigilância e Segurança.
Produtos Ofertados/Produzidos: Vigilância e segurança patrimonial das instituições financeiras e de outros estabelecimentos.

Mercado

São consideradas empresas de segurança privada aquelas que tenham objetos econômicos diversos da vigilância ostensiva e do transporte de valores e que utilizem pessoal de quadro funcional próprio, para a execução dessas atividades.

A violência e a criminalidade nunca estiveram tão presentes na vida do brasileiro como nos últimos tempos. São assaltos, seqüestros, roubos a mão armada, brigas de grupos rivais, brigas no trânsito, entre tantos outros tipos de violência urbana. Isso fez com que o mercado de segurança brasileiro nunca estivesse tão aquecido como agora, ou seja, um mercdo bastante promissor.

Estrutura

A infra estrutura básica deve contar com escritório, salas para palestras, sala forte (com um cofre para guardar o armamento), e vestiários.

Equipamentos

Os equipamentos necessários para o funcionamento da empresa são:
– Veículos devidamente equipados com rádio de comunicação;
– Rádios de comunicação-base;
– Armas e munições, coletes à prova-de-bala, cinturões equipados com cacetes e algemas;
– Uniformes completos (botas, bonés, tênis, calças e camisas);
– Equipamentos de mobiliário ( mesas de escrivaninhas com cadeiras, mesa de reunião, arquivo de aço e armário);
– Computadores e impressoras;
– Material de expediente e etc.

Pessoal

As pessoas que procuram este tipo de profissão, podem ser tanto leigas, como já possuírem alguma experiência neste ramo profissional (policiais ou ex-policiais).

Para uma vigilância, alguns requisitos para recrutamento devem ser considerados: Um teste psicológico para avaliar perfil adequado para essa função; a pessoa convocada deve ter acima de 21 anos; 1,70 m de altura no mínimo;  e não possuir antecedentes criminais.

Para vigilância armada, geralmente, as empresas de vigilância terceirizam seus serviços, contratando empresas que oferecem treinamento especializado, e após o curso recebem o certificado e o porte da arma.

Serviços prestados

– Vigilância e segurança patrimonial das instituições financeiras e de outros estabelecimentos, sejam públicos ou particulares;
– Garantia da incolumidade física de pessoas;
– Realização do transporte de valores ou garantia do transporte de qualquer outro tipo de carga.

Fases do processo operacional

1. – Vendas dos serviços. Efetuadas pelo próprio empreendedor ou pela área de vendas.
2. – Contratação. É feito um “contrato indeterminado” com o cliente, isto é, são estabelecidas regras e normas, entre ambas as partes, ou seja, um contrato de forma bilateral.
3. – Operacionalização. Consiste na efetiva prestação dos serviços, que se dá de acordo com o instrumento assinado.

Armas

A empresa deve possuir armamento de porte médio e que sejam para defesa do segurança, a mais aplicada para este fim é a de calibre 38, que também tem a vantagem de ser leve, de fácil manuseio e manutenção.
As armas ficam em nome da empresa e após o expediente, cada empregado deve devolvê-la.

Lembretes importantes

Alguns fatores que o futuro empreendedor deve levar em consideração no momento de constituir o empreendimento:
– Oferecer seguros de vida em grupo;
– Possuir uniforme próprio, então este deve ser aprovado pela Polícia Federal;
– Visitar empresas de outros estados que prestam este tipo de serviço, e assim estabelecer contatos para possíveis assessorias e/ou franquias.

Legislação Específica

Torna-se necessário tomar algumas providências, para a abertura do empreendimento, tais como:
– Registro na Junta Comercial;
– Registro na Secretária da Receita Federal;
– Registro na Secretária da Fazenda;
– Registro na Prefeitura do Município;
– Registro no INSS;(Somente quando não tem o CNPJ – Pessoa autônoma – Receita Federal)
– Registro no Sindicato Patronal;

O novo empresário deve procurar a prefeitura da cidade onde pretende montar seu empreendimento para obter informações quanto às instalações físicas da empresa (com relação a localização),e também o Alvará de Funcionamento.
Além disso, deve consultar o PROCON para adequar seus produtos às especificações do Código de Defesa do Consumidor (LEI Nº 8.078 DE 11.09.1990).
É importante que o futuro empreendedor tenha o conhecimento da algumas leis que regem este setor, tais como:
– LEI Nº 9.017/95. Estabelece normas de controle e fiscalização sobre produtos e insumos químicos e altera dispositivos da Lei nº 7.102 de 20/06/83 (que dispõe sobre segurança para estabelecimentos financeiros).
– DECRETO Nº 89.056/83 e DECRETO Nº 1.592/95. Estabelece sobre as atividades de segurança privada desenvolvidas por empresas especializadas em prestação de serviços.
– PORTARIA Nº 891/99. Institui e aprova o modelo da Carteira Nacional de Vigilante e respectivo formulário de requerimento, estabelece normas e procedimentos para sua concessão e dá outras providências.

Registro Especial

Há a necessidade de Autorização para o funcionamento da empresa especializada em vigilância, para isto existe na Polícia Federal, um roteiro que eles fornecem, com todas as exigências.

As empresas de segurança privada que desejam obter autorização para exercer a atividade de transporte de valores deverão atender, ainda as seguintes obrigações:

– Garagem exclusiva para, no mínimo, dois veículos especiais destinados aos transporte de valores;
– Cofre-forte para guarda de valores e numerários, com os dispositivos de segurança necessários;
– Sistema de alarme em perfeito funcionamento, conectado à unidade mais próxima da Polícia Militar, Polícia Civil ou empresa de segurança privada que possua sistema de segurança monitorado;
– Sistema de telecomunicação próprio, que permita a comunicação entre seus veículos e a central da empresa. Caso adote outro sistema de telecomunicação, a empresa deverá comprovar a sua aquisição à Comissão de Vistoria/DPF.

Entidades

Ministério da Justiça: http://www.mj.gov.br
Departamento de Policia Federal: http://www.dpf.gov.br

 

Referências:
SebraeIBGEDIEESEIPTInstituto DatafolhaInstituto IBOPEWikipédia, Jornal EstadãoJornal Folha de S.PauloJornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA, MCTI, MDA, MDIC, MMA, MME, MTE.

Artigos relacionados: vigilância e segurança sudeste ltda, segurança e vigilância rj, segurança e vigilância sp, noções de segurança e vigilância, apostila segurança e vigilância, montar empresa segurança vigilância, montar empresa segurança patrimonial, montar empresa segurança privada, abrir empresa segurança eventos, montar empresa de segurança eletronica, segurança publica, segurança significado, frases segurança, segurança imoveis, segurança sinonimo, segurança social directa, segurança engenheiros, segurança social, grupo security segurança vigilancia, vigilancia segurança rs, segurança vigilancia rj.

Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

Gostou desse artigo? Assine o nosso Feed!

Emprega Brasil, site de empregos, trabalho e renda.

Comentário

  1. RONY KLEISSON DA SILVA CARDOSO

    julho 2, 2015 at 1:46 pm

    sou vigilante a 16 anos e quero abrir uma empresa de segurança de eventos legalizada.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>