Empreendedorismo

Empreendedorismo Social

 

 

 

By  | 21/06/2017

Em outras oportunidades, você já teve a chance de entender o que é um empreendedor, o que caracteriza sua atividade, quais os incentivos públicos e privados oferecidos para este tipo de atividade e exemplos de empreendedorismo de sucesso.

 

Continuando nesta reflexão sobre os empreendedores, neste artigo vamos abordar um tio específico de empreendedor: o empreendedor social, mais especificamente o que é empreendedorismo social, o status do empreendedorismo social no Brasil, exemplos do Brasil e órgãos de apoio à atividade.

 

O que é empreendedorismo social

 

O primeiro ponto a ser esclarecido é a confusão recorrente (e completamente justificável) que muitas pessoas fazem entre o empreendedorismo social e as iniciativas sociais, como as ONGs (Organizações Não Governamentais) e Casas de Assistência. Essas últimas são entidades filantrópicas, ou seja, não possuem fins lucrativos e são mantidas através da assistência financeira de pessoas físicas, jurídicas e do Estado e da boa vontade de seus voluntários.

 

Os objetivos são sempre a resolução de problemas sociais graves, como o acolhimento de idosos e crianças abandonadas, pessoas vivendo e convivendo com doenças graves como a AIDS, assistência aos moradores de rua, dentre outras causas.

 

Já o empreendedorismo social é uma atividade com fins lucrativos, ou seja, trata-se de uma empresa que foca cuja oferta de produtos e/ou serviços que visam atender uma necessidade social latente. Apesar de parecer bastante utópico, este modelo de negócios é uma realidade no Brasil e vem quebrando muitos paradigmas até então tidos como inalteráveis no mundo do negócio.

 

Empreendedorismo social exemplos

 

O Brasil é por natureza um país de pessoas empreendedoras – segundo dados oficiais, estima-se que 3 a cada 10 pessoas possuem negócio próprio -, e como o empreendedorismo social não é diferente. Há diversos exemplos de empreendedores sociais que deram certo e hoje servem como modelo para a criação de empreendimentos de natureza social, tanto no Brasil quanto no exterior. Abaixo listamos alguns desses exemplos.

 

 

– Re:char: Colocado em prática na África Ocidental e criado pelo empreendedor social Jason Aramburu, este projeto tem como objetivo ensinar técnicas para que os agricultores da região driblem as mudanças climáticas e com isso consigam produzir mais alimentos, diminuindo os índices de fome na microrregiões e no continente. Para ter uma ideia do sucesso do empreendimento, os agricultores que o integram produzem 26% a mais utilizando 80% menos fertilizantes químicos.

 

– Groundswell: Voltado ao incentivo do uso de energia produzida a partir de fontes sustentáveis, como a eólica e a solar. Para tanto, são misturados conhecimentos do campo profissional e do campo acadêmico, sendo que o empreendimento também permite a interação entre as pessoas que adotaram a energia sustentável.

 

Apesar de estes serem exemplos bastante conhecidos, há milhares de iniciativas na área, como a dos estudantes Lucas Strasburg e Eduardo Trierweiler Boff, criadores de próteses para deficientes físicos, feitas a partir de garrafas pet, o que a torna mais acessível.

 

Empreendedorismo social SEBRAE

 

Como se trata de um campo relativamente novo é necessário recorrer a órgãos para obter ajuda. E nenhum com mais expertise que o Sebrae (Serviço de Apoio as Micro e Pequenas Empresas).

 

Além de ajuda no desenvolvimento do negócio através de pesquisas de mercado e planos de negócio, por exemplo, o Sebrae também oferece uma cartilha com informações valiosas sobre negócios sociais, exemplos de negócios que partem desta premissa, insights para a abertura de negócios sociais e mesmo um concurso que premia as iniciativas mais inovadoras da áreas, realizado pelo Sebrae/SC.

Receba vagas e artigos no email. É grátis!

Emprega Brasil, site de empregos, trabalho e renda.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *