Empregos

Saiba o que fazer para trabalhar no Exterior

 

 

 

By  | 11/11/2017

Trabalhar no exterior é o sonho de muita gente. Seja para ter uma experiência internacional no currículo, para receber um salário melhor ou mesmo para fugir da violência no Brasil, milhares de pessoas fazem as malas e atravessam continentes em busca de uma oportunidade de emprego. Entretanto, para que essa aventura não termine em frustração, é importante ter um bom planejamento. Por isso, descubra agora como trabalhar no exterior.

trabalhar no exterior

Objetivos

O primeiro passo para conseguir trabalhar no exterior é definir objetivos. Qual o seu motivo para sair do Brasil? Pessoas que estão desempregadas e querem sair do País em busca de um emprego com baixa qualificação terão um planejamento bem diferente daqueles que terminaram um MBA e querem simplesmente ter uma experiência profissional internacional.

Por isso, antes de começar a procurar emprego em outros países, defina suas necessidades. Você quer sair a qualquer custo, mesmo que seja para trabalhar como babá ou faxineira? Você abriria mão da sua carreira em troca de um salário melhor em empregos braçais? Ou você quer sair do Brasil e atuar exatamente na mesma área em que atua hoje?

Qualificação

Assim como no Brasil, sua qualificação vai contar muito na hora de procurar trabalho em outro país. Na Europa, mesmo pessoas com baixa escolaridade conseguem empregos com rendimentos suficientes para uma vida simples e digna. Entretanto, apesar do diploma não ser essencial, falar uma segunda língua é pré-requisito.

Em Portugal, destino favorito dos brasileiros, exige-se que os garçons falem português, inglês e espanhol. Portanto, antes de sair do Brasil, capacite-se.

Caso você tenha os recursos necessários, pode se inscrever em uma escola de idiomas ou universidade do país de destino. Assim, além de se capacitar, você terá um visto que te permitirá circular legalmente pelo país, fará network e terá mais tempo de adaptação à nova realidade.

Capacitação e trabalho ao mesmo tempo

Há ainda uma outra opção para quem tem recursos: fazer um intercâmbio com possibilidade de trabalhar no exterior. Algumas agências de intercâmbio contam com programas em que o estudante pode estudar uma língua durante um turno, e trabalhar no turno oposto. É uma excelente oportunidade de começar a carreira no exterior enquanto aprende a língua e a cultura do país estrangeiro.

VOCÊ VIU?  Estágios

Intercâmbio para trabalho remunerado

Estudar no país de destino não é um pré-requisito para quem deseja trabalhar no exterior. Muitas empresas de intercâmbio contam com programas para jovens universitários que desejam um emprego temporário no estrangeiro.

A desvantagem, nesses casos, é que o candidato precisará comprar o programa em uma agência de intercâmbio. Além disso, os programas são voltados apenas para jovens ou estudantes. Confira algumas opções:

  • Au Pair (babá) na Alemanha:

Au Pair

O programa tem duração de 12 meses. Os intercambistas ficam na casa da família contratante e recebem uma remuneração de 300 euros por mês. Podem se candidatar apenas mulheres de 18 a 26 anos, com pelo menos nível intermediário de alemão.

  • Au Pair nos EUA

Similar à opção alemã. O que muda é o salário. Nos EUA, a remuneração é de aproximadamente 580 dólares por mês.

  • Au Pair na França

Similar às demais opções, mas com remuneração diferenciada: 320 euros por mês.

  • Estágio na Austrália

Jovens de 18 a 30 anos podem comprar um programa de estágio na Austrália. O salário mensal por chegar a 900 dólares australianos (o equivalente a mais de 2 mil reais). Uma grande vantagem é a duração do estágio, de aproximadamente dois anos.

Os interessados devem ter se formado há no máximo dois anos, em áreas afins aos segmentos de gastronomia, marketing, eventos ou recursos humanos.

  • Estágio nos EUA

Se você tem entre 18 e 35 anos, inglês avançado, é estudante universitário, estudante de pós-graduação ou recém-formado, essa é a sua chance de trabalhar nos EUA. O programa, com até 18 meses de duração, oferece salários de até US$ 1.160.

  • Monitor de acampamento nos EUA

Jovens de 19 a 30 anos com inglês avançado podem comprar o programa de monitor de acampamento nos EUA. Toda a alimentação e a hospedagem são pagas pelo acampamento contratante. Ao final das 10 semanas de trabalho o monitor recebe uma bolsa de até 1.750 dólares.

Currículo europeu

Quem deseja procurar emprego na Europa pode se beneficiar do Europass, um conjunto de documentos criados pela Comissão Europeia que destaca de forma clara as qualificações e habilidades dos profissionais. Esses registros são usados por empresas de RH para selecionar candidatos estrangeiros ou europeus para seus clientes. Acesse o link no final desse artigo.

VOCÊ VIU?  TRT

Independentemente do Europass, vale a pena manter atualizado seu perfil no Linkedin. Essa rede social é cada vez mais utilizada por contratantes de todo o mundo.

Onde encontrar emprego

A União Europeia também mantém um site com vagas de emprego em todo o continente, chamado de Eures. Dessa forma nem sequer é preciso sair do Brasil para se candidatar a uma vaga.

Os profissionais podem tanto procurar por vagas existentes quanto cadastrar seus currículos e torcer para que ele seja selecionado por alguma empresa.

Trabalhar nos EUA sem ser estudante

Trabalhar EUA

Apesar de ser considerado o país das oportunidades, a verdade é que conseguir migrar para os EUA é uma tarefa bastante difícil. Para conseguir um visto de trabalho sem ser estudante é preciso primeiro que uma empresa americana informe ao governo que deseja sua contratação.

Outra possibilidade é obter um visto EB-1, concedido apenas a pessoas portadoras de “habilidades excepcionais”. Diplomas, prêmios e publicações acadêmicas podem ser utilizados para comprovar essas habilidades. Para se candidatar ao visto EB-1, dirija-se a uma embaixada ou consulado americano.

Trabalhar no exterior sem ser estudante

Nem tudo é obstáculo na luta por uma vaga de trabalho no exterior. Os brasileiros podem, por exemplo, trabalhar em qualquer país do Mercosul, sem muita burocracia. Basta pedir um visto de residência e de trabalho no país desejado.

  • Uruguai (e Mercosul)

Um bom país no Mercosul para encontrar trabalho é o Uruguai. Nossos vizinhos possuem programas de incentivo para brasileiros que queiram abrir empresas lá. Além disso, há grande demanda por profissionais de TI, engenheiros e consultores.

Vale ressaltar que, além do Uruguai, os brasileiros têm direito a vistos de trabalho na  Argentina, Paraguai, Chile, Bolívia, Colômbia, Equador e Peru.

  • Portugal

Trabalhar Portugal

Portugal é possivelmente o país europeu mais aberto aos trabalhadores brasileiros. É possível viajar para lá com um visto de turista e, uma vez na Europa, conseguir um visto de trabalho. Para isso, basta que o cidadão brasileiro seja “contratado” para qualquer tipo de serviço, mesmo em casas de família (como faxineiras ou babás, por exemplo).

VOCÊ VIU?  Como fazer Currículo

Profissionais da área de TI são bastante requisitados, mas é importante ressaltar que Portugal tem o menor salário mínimo da União Europeia: cerca de 600 euros.

Está pronto para fazer as malas e começar uma nova vida? Trabalhar no exterior pode ser uma experiência altamente gratificante. Para obter mais informações, acesse os links abaixo:

Gostou do artigo? Conhece alguém que está desempregado ou que gostaria de trabalhar no Exterior? Então compartilhe esse texto nas redes sociais, essas informações serão úteis  e pode ajudar muitas pessoas a iniciarem uma carreira no Exterior.

Vagas de Emprego Pagando em Dólares

Receba vagas e artigos no email. É grátis!

Emprega Brasil

Emprega Brasil, site de empregos, trabalho e renda.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *