Conecte-se conosco

Ideias de negócios

Como criar Gado em Confinamento

Ganhe muito dinheiro criando Gado. Veja aqui como criar Gado em Confinamento com pouco dinheiro e sem cometer erros, aprenda tudo, investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, captação de cliente, financiamento, mão de obra especializada, atendimento e muito mais…

FICHA TÉCNICA
Setor da Economia: Agroindústria.
Tipo de Negócio: Pecuária.
Ramo de Atividade: Criação de Gado Bovino em Confinamento.

Mercado de gado bovino em confinamento

Na época seca o pasto perde produtividade e o gado perde peso, para evitar esse prejuízo, uma maneira segura de terminar os animais é o confinamento. O confinamento consiste no aprisionamento do animal,  visando otimizar os espaços físicos com também o aumento da produção.
Saber quando confinar é importante. Poderá ser na entressafra, quando os pastos estão secos e com baixa produtividade, ou durante o ano inteiro.

No Brasil a prática cresce ano após ano. A tendência de elevação  desse número associado à adoção de técnicas de melhoria de produtividade, como por exemplo, sistemas de manejo de pasto nas águas.

Estrutura

A estrutura básica deve contar com:
– Terrenos ligeiramente inclinados , para facilitar o escoamento das águas;
– Fornecimento facilitado de luz elétrica e água;
– Galpões para a estocagem das ferramentas (motores, picadeiras, etc) e dos produtos básicos necessários;
– Currais e etc.

Equipamentos

Os equipamentos podem ser divididos em duas categorias, os equipamentos de uso e apoio na criação (cochos, picadeiras, máquinas, ferramentas em geral, etc.), e os equipamentos do administrativo (móveis e utensílios do escritório, computadores, fax, telefones e etc.).

Mão de obra

Deve ser treinada, incluindo visitas a outros confinamentos com o objetivo de transmitir informações inerentes ao confinamento . Saber reconhecer todas as etapas do processo trará aos empregados mais segurança e respeito ao trabalho de cada um.
Quanto ao número de funcionários, irá variar de acordo com a estrutura do empreendimento.

Localização dos currais

É importante evitar construir currais perto de residência ou sede, para que não haja interferência do movimento doméstico no ambiente do confinamento. A idéia é poupar ao máximo ambas as partes: o gado do barulho da movimentação de pessoas e o homem de um ambiente onde o mau cheiro é forte, existem moscas, poeira, etc.
Também está comprovado que a circulação de veículos e pessoas sem a devida higienização prévia traz doenças muitas vezes transportados por aqueles que visitaram alguma propriedade contaminada.

Leia:  Como fazer batom - Saiba como montar fábrica de batons

Coxos

Coxos de concreto pré moldado têm sido muito usados, já que, apresentam uma boa durabilidade e manutenção satisfatórias. Entretanto também são utilizados coxos simples feitos de latão cortado ao meio ou mesmo de madeira, apresentam como vantagem o baixo custo.

Fatores que devem ser considerados no processo de implantação do confinamento

São muitos os fatores a serem considerados antes da implantação de um projeto de confinamento de bovinos em uma determinada região, que são:

  • A população humana: é necessário que exista mão de obra suficiente para trabalhar na atividade;
  • Disponibilidade de animais na região: se o confinamento não for realizado com animais da própria fazenda, as compras serão realizadas na região, dessa forma, será necessária grande quantidade de animais disponíveis a um preço de mercado acessível;
  • Avaliar qual o sistema de produção predominante: não adianta fazer confinamento em uma região onde o sistema de produção predominante é a cria. Não haverá, dessa forma, disponibilidade de novilhos magros para a engorda;
  • Considerar os índices pluviométricos: regiões onde há grande quantidade de chuvas durante o ano não são adequadas para o confinamento. Da mesma forma, deve-se considerar também outros pontos que podem prejudicar o confinamento como o excesso de ventos, a topografia inadequada ou o solo. O clima geral da região deve ser também avaliado para evitarmos futuros problemas;
  • Disponibilidade de grãos e resíduos (agro-industriais): é um dos mais importantes, já que regiões distantes de pontos produtores de grãos gastam muito com frete e ficam mais susceptíveis a problemas de falta de ingredientes;
  • Aspecto sanitário: devem ser considerados pontos como a existência de enfermidades endêmicas (como por exemplo a Raiva). Isso pode descartar a utilização de determinada região. Devem também estar disponíveis na região produtos veterinários, adubos e equipamentos agrícolas.

O processo de confimento

Deve-se seguir alguns passos para se obter sucesso neste processo, que são:

  • -Seleção dos Animais: deve ser rigorosa, a melhor decisão sobre o tipo de gado a ser confinado é ditada pelos preços de compra e venda dos animais e pela qualidade dos animais disponíveis. O fato de que estes fatores estão em constantes mudanças, torna-se necessária uma decisão ponderada com base em um deles para que se obtenha a melhor perspectiva de lucratividade.
    Recomenda-se animais de 350 a 400 kg, e que apresentem maior homogeneidade possível;
  • Idade: trabalhos experimentais têm demonstrado que animais mais novos apresentam maior velocidade de crescimento e melhor conversão comercial, porque os custos com a manutenção do animal aumentam na medida de seu crescimento. ou seja, quanto mais velho o animal, mais cara será a sua engorda;
  • Raça: aspectos relativos à raça do animal a ser confinado são também de grande importância. Tem-se observado que os melhores animais são aqueles com 1/2 sangue zebu e 1/2 sangue europeu e/ou 1/4 de sangue europeu e 3/4 de sangue zebu. A raça Nelore também oferece boas possibilidades para a engorda;
  • Pasto: o bom pasto sempre diminuirá custos de engorda. A resposta sobre qual pasto adotar depende geralmente da região e do tipo de terra , mas na verdade um pasto de boa qualidade será sempre mais produtivo.
Leia:  Empreendedor Individual

Lembretes importantes

Alguns lembretes importantes para o futuro empreendedor:

  • Confinar pode significar o ingresso num campo fora da especialidade do criador, que ficará na “dependência” de zootecnistas , fornecedores ,clima ,empregados, maquinários ,água ,luz , e equipamentos e para aquele que planta seu próprio grão será exigido conhecimento de agricultura;
  • Construir um coxo seco na entrada do confinamento e enchê-lo de cal, fazendo com que toda pessoa ou automóvel ao entrar no ambiente passe por esta “barreira” higienizadora é uma alternativa.

Legislação Específica

Torna-se necessário tomar algumas providências, para a abertura do empreendimento, tais como:
– Registro na Junta Comercial;
– Registro na Secretária da Receita Federal;
– Registro na Secretária da Fazenda;
– Registro na Prefeitura do Município;
– Registro no INSS;(Somente quando não tem o CNPJ – Pessoa autônoma – Receita Federal)
– Registro no Sindicato Patronal;

O novo empresário deve procurar a prefeitura da cidade onde pretende montar seu empreendimento para obter informações quanto às instalações físicas da empresa (com relação a localização),e também o Alvará de Funcionamento.
Além disso, deve consultar o PROCON para adequar seus produtos às especificações do Código de Defesa do Consumidor (LEI Nº 8.078 DE 11.09.1990).
OBS. Caso o empreendedor queira constituir-se com pessoa jurídica.

Algumas legislações que futuro empreendedor deve ter conhecimento:
– LEI nº 7.967/89. Dispõe sobre o valor das multas por infração à legislação sanitária, altera a Lei nº 6.437, de 20 de agosto de 1977, e dá outras providências.

Registro Especial

– Registro no S.I.F. (Serviço de Inspeção Federal). Exigência feita para que o criador possa colocar seu produto no mercado.
– Registro como produtor rural. Exigência feita para comercializar o animal vivo.

Leia:  Plano de Negócios

Na comercialização do produto processado (carne ou pratos prontos), o empresário deverá informar-se a respeito dos registros necessários para sua legalização, já citados acima (Legislação Específica).

Em resumo:
Comercialização:
– Em Nível Municipal. No município onde está instalado, basta efetuar o registro na Vigilância Sanitária Municipal (quando houver);
– Em Nível Estadual. No Estado, o empresário deverá registrar sua empresa no IDAF – Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Espírito Santo;
– Em Nível Nacional. O registro deverá ser feito no SIF – Serviço de Inspeção Federal. O órgão responsável no Espírito Santo é o Ministério da Agricultura.

Entidades

ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária: http://www.anvisa.gov.br
EMBRAPA: http:// www.embrapa.gov.br
EMATER Goiás: http://www.emater.go.gov.br
Ministério da Agricultura: http://www.agricultura.gov.br

 

Referências:
Sebrae – Serviços de Apoio as Micros e Pequenas Empresas, IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas – São Paulo, Datafolha – Instituto de Pesquisas Grupo Folha, IBOPE – Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MCTI – Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, MDA – Ministério do Desenvolvimento Agrário, MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, MMA – Ministério do Meio Ambiente, MME – Ministério de Minas e Energia, MTE – Ministério do Trabalho e Emprego.Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

 

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tendências