Ideias de Negócios

Como montar Serviço de Refeição

 

 

 

By  | 20/10/2017

Ganhe muito dinheiro com Refeição, saiba como montar Serviço de Refeição com pouco dinheiro e sem cometer erros. Aprenda tudo, investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Serviço de refeição em domicílio

Ficha Técnica
Setor: Serviço (terciário).
Tipo de Negócio: Serviço de refeição em domicílio.
Investimento mínimo: R$ 2 mil (ingredientes, panelas e utensílios de mesa)
Faturamento mensal inicial: R$ 3 mil
Situação do mercado: em ascensão.

Nós já temos a fama. Agora é só colocar a mesa, já que nossas habilidades culinárias encantam qualquer paladar. Confirma essa observação o fato do Brasil (através da cidade de São Paulo) ter sido agraciado – em 1997, no Congresso Internacional de Hospedagem, Gastronomia e Turismo – com o título de capital mundial da gastronomia.

Junte a isso tudo o fato de que agora, a gastronomia aparece como a grande cartada para atrair turistas. Assim, os bons paladares agradecem e os refeiçãoiros de plantão comemoram.

Refeição em domicílio – Cenário

Nos últimos cinco anos, o segmento de serviços de alimentação, cresceu no Brasil. O faturamento total das empresas do ramo chegou a mais de R$ 10,2 bilhões, segundo estatísticas da Associação Brasileira da Indústria da Alimentação (Abia). Não é à toa que alimentação é o primeiro ramo cogitado por grande parte daqueles que pensam em empreender. Além de ser um serviço básico – com boa imunidade a crises econômicas e demanda permanente -, o ramo oferece as mais variadas possibilidades de atuação.

Refeição em domicílio – Tendência

Seguindo uma das tendências do milênio, as refeições em domicílio – verdadeiras “Festas de Babete”, são apontados como atividades de grande fôlego nos próximos anos.

Refeição em domicílio – Características

De modo geral, os serviços de refeição em domicílio adotam práticas semelhantes no que diz respeito a antecedência exigida para contratação de seus serviços, ao exclusivo atendimento em domicílio e aos produtos incluídos no preço.

Refeição em domicílio – O que está incluído

Os preços cobrados incluem garçons, cozinheiras e ajudantes de cozinha, talheres, pratos e copos.

Refeição em domicílio – Jantar Padão

Geralmente, um jantar padrão inclui coquetel, duas saladas, peixe, ave ou carne, guarnições, sobremesa, sorvete, frutas, café e chocolate.

Refeição em domicílio – Preços

Os PREÇOS cobrados variam entre R$ 30 e R$ 128 por pessoa e dependem do número de convidados por jantar. Em alguns desses bufês, quando o número de convidados não alcança o mínimo estabelecido, cobra-se um valor fixo pelo serviço. Num deles, cujo número mínimo de convidados a servir é de 50 pessoas (com o número mínimo, o preço fica em R$ 65/ pessoa), esse valor fixo ficou estabelecido em R$ 3 mil.

Refeição em domicílio – Número mínimo de pessoas

O número mínimo de pessoas para atendimento do pedido varia entre 30 e 100 pessoas.

Refeição em domicílio – Antecedência

Todos os bufês exigem certa antecedência na contratação dos serviços. A variação desses prazos oscila entre 10 dias e 01 mês.

Refeição em domicílio – Inovações

Alguns bufês inovam e invadem também a decoração da casa do cliente. É o caso dos serviços prestados pela refeiçãoira Neka Menna Barreto, que leva junto com os quitutes toda a atmosfera que inspirou seu preparo. Seus eventos costumam ter sanduíches pendurados pelo salão, sucos de frutas em vez de refrigerantes, águas aromatizadas e essências espalhadas pelo ar.

VOCÊ VIU?  Distribuição de equipamentos e suprimentos de informática

Refeição em domicílio – Cardápios

Os refeiçãoiros viajam pelos fogões de vários países e a inspiração também pode vir de restaurantes nacionais. Os temas para as refeições servidos são variados. São receitas dos restaurantes Fasano, Gero e Parigi; refeições mediterrâneas e do Sudeste Asiático; pratos franceses incrementados com ingredientes brasileiros e italianos; culinária internacional com sabores das cozinhas mexicana e tailandesa; cozinha italiana, francesa, oriental; cozinha brasileira; cozinha indiana (tem até arroz indiano servido com pó de ouro); culinária internacional ou judaica.

Foi seguindo esse rastro que Roman Matz e Benedita Ricardo de Oliveira apostaram. Ele na cozinha vietnamita e ela na cozinha francesa. Veja a história de cada um:

1. Refeições Chinesas

As refeições de Roman Matz já foram hobby e ganha-pão. Agora são um bom negócio. Aos 52 anos, o veterano de guerra Roman Matz, afinal, conseguiu transformar um velho prazer em negócio rentável – preparar refeições com pratos exóticos da culinária oriental e oferecê-los em sua própria casa. Nascido na Alemanha e criado em Nova York desde os três anos de idade, Matz viveu maus pedaços, combatendo no Vietnã, em 1968. Mas também foi lá que aperfeiçoou seus dotes de gourmet.

Ele trocava com os vietnamitas os enlatados do exército norte-americano por peixes, verduras e temperos frescos, e cozinhava no capacete receitas aprendidas em restaurantes de Saigon. Depois do Vietnã, o cozinheiro correu mundo e veio parar no Brasil em 1973. No final dos anos 80, para relaxar, Matz começou a preparar jantares com pratos orientais e italianos para grupos de amigos. No início, o anfitrião pagava sozinho esses festivais gastronômicos. Mas o alto custo dos ingredientes importados e a perda do emprego, em 1990, fez com que ele passasse a ratear as despesas entre os convidados.
COMO COMEÇOU. A história dos “refeições em casa” começou mesmo no ano passado. Com um fogão semi-industrial, algumas panelas para cozimento a vapor e um empréstimo de US$ 2 mil , Matz refez seu arsenal culinário e transformou em negócio o velho hobby de organizar refeições em casa.

PRIMEIROS CLIENTES. Os primeiros clientes foram os amigos de sempre, que iam trazendo outras pessoas.

NÚMEROS. Hoje, praticamente sem concorrentes, o cozinheiro realiza quatro jantares por mês com um FATURAMENTO bruto de R$ 3 mil e uma margem de LUCRO líquida de 30%. Ele espera chegar, em breve, a fazer oito refeições mensais. Matz recebe grupos de 12 a 18 convivas, que sua mulher, Fernanda, recepciona vestida a caráter.

PREÇOS. Cada cliente paga R$ 50, e leva sua própria bebida.

COMO FUNCIONA. Vestida a caráter, Fernanda, mulher de Matz, recepciona os convidados que escolhem a música que querem ouvir, brincam com o cachorro no jardim e conversam à vontade. Os clientes só não escolhem o que vão comer. O cardápio de 23 pratos, preparado por Matz e Fernanda, inclui quitutes vietnamitas, tailandeses e coreanos e é sempre uma surpresa para os convidados , mesmo porque a maior parte das receitas é desconhecida até para velhos adeptos da cozinha chinesa.

VOCÊ VIU?  Ganhe dinheiro com administração de bares e restaurantes

CARDÁPIO. Quem não se aventura numa salada de medusa (água-viva) dessalgada durante três dias, certamente será tentado pelos gengibres agridoces, ovos de codorna curtidos no chá, frangos curados no vinho chinês, hargow (massa transparente recheada com camarão), lombos ao molho de mostarda e filés com mangas ao molho de ostras.

DIVERSIFICANDO. Agora, o casal criou a Matzfood, marca de congelados de comida italiana ou oriental. Só de massas, são 15 pratos diferentes, para o cliente continuar a festa em sua própria casa.

2. Buffet & Eventos Benê

Benedita Ricardo de Oliveira fez o curso primário no Mobral e só deixou São José do Mato Dentro, o lugarejo mineiro onde nasceu, para trabalhar com uma família paulista. Além das noções de cozinha,aprendidas com a avó Eugênia, ela trouxe outros ingredientes importantes à sua carreira: simpatia e muita paciência. Os primeiros incentivos para sua culinária vieram dos bons 18 nos em que trabalhou com uma família alemã. O sonho de subir na vida a fez trocar o emprego por uma vaga na cozinha experimental de uma revista. Demitida, passou a engordar o salário recebido numa cozinha industrial com a preparação de jantares em casas de família. Num deles, oferecido a um ex-presidente da República, Benê ganhou, além de elogios, um convite do então presidente do Senac, para fazer cursos num Hotel-Escola da entidade. Com vários diplomas nas mãos, trabalhou nas cozinhas do bar Spazio Pirandello, de uma empresa exportadora e do Maksoud Plaza.

Hoje, finalista do Nestlé Toque D’Or  (concurso que vai eleger o melhor chefe de cozinha brasileiro e levá-lo à França para disputar o Bocuse D’Or, troféu máximo da culinária mundial), Benê é empresária de sucesso e festejada chef de cozinha. Não foi sempre assim, mas é bom dizer que todo seu talento para superar discriminações foi fundamental para que ela cunhasse todo o requinte da cozinha francesa ao seu trabalho.

COMO COMEÇOU. A tão sonhada independência só veio em 1983. Nessa época Benê registrou-se como autônoma e passou a preparar jantares e refeições para empresas e gente famosa. Três anos depois abriu sua empresa, no pequeno apartamento em Santana, onde mora.

COMO FUNCIONA. Além de organizar eventos, escolhendo pessoalmente espaço, louças, decoração, garçons, comida e bebida, ela também faz congelados, dá aulas, é consultora de revistas e cria receitas inusitadas, como o prato de carrê suíno com o qual conquistou o primeiro lugar no Chef Talento Sadia.

PESSOAL. Benê dá trabalho para 10 garçons, 01 maître e 05 auxiliares de cozinha. Todos como autônomos. No quadro fixo Benê mantém 01 ajudante (secretária). Esse time atua em cada um dos três ou quatro eventos que faz por mês.

INVESTIMENTO INICIAL. Benê começou com R$ 6 mil.

CAPITAL DE GIRO. 1º mês: R$ 5 mil.

FATURAMENTO MENSAL INICIAL: R$ 5 mil a R$ 7 mil.

ESTRUTURA. Material e espaço para realização dos eventos da Benê são alugados. Os equipamentos e insumos solicitados são: computador, impressora, 2 telefones, fax e uniformes (aventais, camisas, calças e camisetas).

VOCÊ VIU?  Como criar Gado em Confinamento

NÚMEROS. Com esses custos, sobram líquidos cerca de R$ 4 mil por mês, suficientes para Benê se manter, pagar contas, fundo de previdência privada e fazer novos cursos. Fundada em 1986 e com sede em São Paulo, a Buffet & Eventos Benê tem faturamento anualmente R$ 180 mil. É assim que fica a pergunta: Não deveria ela andar às voltas com a alta gastronomia? Bem, ela está. Só que lutou tanto nos seus 50 anos, que já se acostumou a não recusar trabalho e a administrar com bom humor as atividades em que se envolve para garantir à sua empresa, a Buffet & Eventos Benê, uma receita bruta ao redor de R$ 15 mil mensais.

PLANOS. Seus maiores sonhos? Montar uma escola de cozinha e vencer o Toque D’Or. Só para ter o prazer de mostrar ao mundo a legítima culinária brasileira com requinte francês.

Refeição em domicílio – Curso

Le Cordon Bleu chega ao Brasil. A Universidade Nacional de Brasília lança seu curso de cozinheiro, título universitário de grife, já que estará sendo criado em convênio com a glamourosa Le Cordon Bleu, escola de culinária fundada em 1896, em Paris. O convênio vincula a universidade com a escola francesa. Do acordo participa ainda uma instituição autônoma -o Instituto de Gastronomia do Brasil- que reúne profissionais da área.

 

Endereços na Internet: Portal na área de alimentação.

http://www.cozinhanet.com.br

http://www2.uol.com.br/veja/especiais/comida/sp/comidas refeiçãoiros.html

 

Referências:

Ministério do Trabalho e Emprego – MTE, Associação Brasileira de recursos humanos – ABRH – Nacional, Wikipédia, Jornal Estadão, Jornal Folha de S.Paulo, Jornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA, MCTI, MDA, MDIC, MMA, MME.

Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

Receba vagas e artigos no email. É grátis!

Emprega Brasil

Emprega Brasil, site de empregos, trabalho e renda.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *