Ideias de Negócios

Montar uma central de Vacinas gastando pouco

 

 

 

By  | 10/11/2017

Saiba como montar uma Central de Vacinas lucrativa gastando pouco e sem cometer erros. Ganhe muito dinheiro com clínica de serviços médicos. Aprenda tudo: investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Central de vacinas

Ficha Técnica
Setor da Economia: Terciário
Ramo de Atividade: Saúde e Serviços Sociais
Tipo de Negócio: Clínica de Serviços Médicos
Produto: Serviço de Vacinação
Situação no mercado: Em expansão devido a crise da saúde pública.

Apresentação

Uma Central de Vacinação deve oferecer um serviço de qualidade, pois é isso que irá fazer a diferença quando procurada pelos clientes, com enfermeiras bem treinadas para um correta imunização, além de uma supervisão médica por Pediatras e Clínicos Gerais, em tempo integral.

Em sua rotina, a Central de Vacinação poderá contar com uma programação de vacinação em creches, escolas, empresas, condomínios e clubes, bem como o atendimento domiciliar.

Na vacinação infantil obedecerá as recomendações constantes no calendário da Sociedade Brasileira de Pediatria. A vacinação para adolescentes e adultos à nível de saúde pública, que só foi estabelecida no Brasil na década de 70, merece atenção, pois os adultos acima de 40 anos que não tiveram algumas doenças imunizáveis e tampouco receberam vacinas, correm o risco de infeções. O hábito da aplicação de vacinas em pessoas que alcançaram a 3ª idade não era comum na rotina das clínicas especializadas e nem dos Postos de Saúde.

Equipamentos e instalações

Investimentos com equipamentos e instalações

  • Reforma do imóvel,
  • Equipamentos médicos básicos – termômetros, estetoscópio, balança antropométrica, balança “baby”, mesa para balança, maca alta para exames clínicos e móveis.
  • Exige, ainda, imóvel de acerca de 40m², telefone e computador. Número mínimo de pessoas trabalhando: 3 (médico, enfermeira e uma atendente).

A central de vacinação deverá obter da Secretaria Municipal de Saúde de sua região uma autorização para exercer suas atividades.

Clientes

A clientela de uma Central de Vacinação geralmente é formada por pacientes particulares e conveniados, com os mais diversos Planos de Saúde, disponíveis no mercado nacional. Em função do sistema de saúde pública do País enfrentar há muito tempo grave crise, o empresário da área médica que queira instalar uma Central de Vacinação, deve levar em conta os aspectos do mercado, lembrando das seguintes recomendações:

  1. Estabelecer uma estratégia de conquista da clientela, ou seja, a quem pretende ter como clientes, a qual segmento estará voltado (particular e/ou convênios) e qual a participação de cada um na formação da receita do empreendimento;
  2. Estar atualizado com relação às normas estipuladas pelos diversos convênios e suas exigências quanto à capacitação, especialização, bem como das políticas de remuneração adotadas;
  3. Adotar um alto padrão de atendimento e profissionalismo, sem descuidar dos importantes
    aspectos da qualificação e especialização profissional, são fatores que à médio e longo prazos, tenderão a consolidar prestígio da Central de Vacinação e de seu titular com resultados financeiros compensadores;
  4. Cuidar da parte social do empreendimento, disponibilizando, sempre que possível, horários para atendimentos filantrópicos, caso não esteja conveniado junto à entidades de assistência pública.
VOCÊ VIU?  Como criar Gado em Confinamento

Calendário de vacinação infantil

  • Ao nascer – BCG + Hepatite B
  • 1 mês – Hepatite B
  • 2 meses – Tríplice Bacteriana (DPT ou DTPac**) + Pólio Oral + Haemóphilus B
  • 4 meses – Tríplice Bacteriana (DPT ou DTPac**) + Pólio Oral + Haemóphilus B
  • 6 meses – Tríplice Bacteriana (DPT ou DTPac**) + Pólio Oral + Haemóphilus B + Hepatite B
  • 9 meses – Sarampo
  • 15 meses – Tríplice Bacteriana (DPT ou DTPac**) + Pólio Oral + Haemóphilus B + Tríplice Viral
  • 4 a 6 anos – Tríplice Bacteriana (DPT ou DTPac**) + Pólio Oral
  • 7 a 10 anos – BCG
  • A partir de 12 anos – Tríplice Viral

(*)   Esta dose pode ser desnecessária, caso seja aplicada a vacina Ped-Vax (MSD)
(**) DTPac – Vacina Tríplice Bacteriana Acelular – menor intensidade de efeitos colaterais.

As vacinas contra Hepatite A e Varicela (catapora), devem ser aplicadas quando possível, nas crianças a partir de 1 ano de idade.

A vacina contra a gripe, quando houver necessidade, pode ser aplicada nas crianças acima de 6 meses de idade.

A vacina contra a Meningite só é indicada em casos de epidemias.

Calendário para vacinação de adolescentes e adultos

  • DUPLA TIPO ADULTO (Tétano e Difteria) – Deve ser aplicada de 10 em 10 anos.
  • HEPATITE B(*) – Pode ser aplicada em qualquer idade:
    É composta de 3 doses: 1ª dose – 2ª dose 30 dias após a 1ª –
    3ª dose 60 dias após a 1ª
  • HEPATITE A(*) – Pode ser aplicada em qualquer idade, a partir de 1 ano. É composta de 3 doses: 1ª dose – 2ª dose 30 dias após a 1ª – 3ª dose 60 dias após a 1ª
  • ANTI-PNEUMOCÓCICA – Deve ser aplicada nos seguintes casos:
    Pessoas que retiraram o baço; Pessoas infectadas pelo HIV; Alcoólatras; Diabéticos; Pessoas com Câncer, etc.
  • VARICELA(catapora) – A partir de 13 anos de idade; Duas doses com intervalo de 4 a 8 semanas
  • TRIPLÍCE VIRAL(Sarampo, Rubéola e Cachumba) – Deve ser aplicada nas pessoas que não tiveram nenhuma das 3 doenças e não receberam a vacina na infância, principalmente mulheres na idade fértil.
  • RUBEÓLA – Deve ser aplicada nas pessoas que não tiveram a doença, principalmente nas mulheres em idade fértil, para prevenir a rubéola congênita.
  • SARAMPO – Deve ser aplicada nas pessoas que não tiveram a doença.
VOCÊ VIU?  Montar plantação e cultivo de Fores gastando pouco

(*) Já existe à disposição a vacina contra Hepatite B para uso das pessoas em programas de hemodiálise. (Recombivax 40mg – MSD)
(**) Caso seja aplicada a vacina Vaqta (MSD), só são necessárias 2 doses, com intervalo de 6 meses

Vacinas recomendadas para a 3ª idade

  • Influenza (gripe) – Deve ser aplicada anualmente
  • Anti-Pneumocócica – Maiores de 65 anos, deve ser repetida a cada 5 anos
  • Haemóphilus B – Maiores de 65 anos.
  • Dupla tipo adulto – Aplicação de 10 em 10 anos.

Além das vacinas recomendadas acima, as pessoas da 3ª idade, podem também ser vacinadas contra Hepatite A e Hepatite B.

Software para gerenciamento de clinica de vacinação: http://www.cevacin.com.br

Referências:

SebraeIBGEDIEESEIPTInstituto DatafolhaInstituto IBOPEWikipédia, Jornal EstadãoJornal Folha de S.PauloJornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA, MCTI, MDA, MDIC, MMA, MME, MTE.

Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

Receba vagas e artigos no email. É grátis!

Emprega Brasil

Emprega Brasil, site de empregos, trabalho e renda.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *