Ideias de Negócios

Montar uma central de Vacinas gastando pouco

 

 

 

By  | 21/05/2018

Saiba como montar uma Central de Vacinas lucrativa gastando pouco e sem cometer erros. Ganhe muito dinheiro com clínica de serviços médicos. Aprenda tudo: investimento, localização, equipamentos, fornecedores, mercado, concorrência, riscos, legislação, mão de obra especializada, captação de cliente, financiamento, atendimento e muito mais…

Central de vacinas

Ficha Técnica
Setor da Economia: Terciário
Ramo de Atividade: Saúde e Serviços Sociais
Tipo de Negócio: Clínica de Serviços Médicos
Produto: Serviço de Vacinação
Situação no mercado: Em expansão devido a crise da saúde pública.

Apresentação

Uma Central de Vacinação deve oferecer um serviço de qualidade, pois é isso que irá fazer a diferença quando procurada pelos clientes, com enfermeiras bem treinadas para um correta imunização, além de uma supervisão médica por Pediatras e Clínicos Gerais, em tempo integral.

Em sua rotina, a Central de Vacinação poderá contar com uma programação de vacinação em creches, escolas, empresas, condomínios e clubes, bem como o atendimento domiciliar.

Na vacinação infantil obedecerá as recomendações constantes no calendário da Sociedade Brasileira de Pediatria. A vacinação para adolescentes e adultos à nível de saúde pública, que só foi estabelecida no Brasil na década de 70, merece atenção, pois os adultos acima de 40 anos que não tiveram algumas doenças imunizáveis e tampouco receberam vacinas, correm o risco de infeções. O hábito da aplicação de vacinas em pessoas que alcançaram a 3ª idade não era comum na rotina das clínicas especializadas e nem dos Postos de Saúde.

Equipamentos e instalações

Investimentos com equipamentos e instalações

  • Reforma do imóvel,
  • Equipamentos médicos básicos – termômetros, estetoscópio, balança antropométrica, balança “baby”, mesa para balança, maca alta para exames clínicos e móveis.
  • Exige, ainda, imóvel de acerca de 40m², telefone e computador. Número mínimo de pessoas trabalhando: 3 (médico, enfermeira e uma atendente).

A central de vacinação deverá obter da Secretaria Municipal de Saúde de sua região uma autorização para exercer suas atividades.

Clientes

A clientela de uma Central de Vacinação geralmente é formada por pacientes particulares e conveniados, com os mais diversos Planos de Saúde, disponíveis no mercado nacional. Em função do sistema de saúde pública do País enfrentar há muito tempo grave crise, o empresário da área médica que queira instalar uma Central de Vacinação, deve levar em conta os aspectos do mercado, lembrando das seguintes recomendações:

  1. Estabelecer uma estratégia de conquista da clientela, ou seja, a quem pretende ter como clientes, a qual segmento estará voltado (particular e/ou convênios) e qual a participação de cada um na formação da receita do empreendimento;
  2. Estar atualizado com relação às normas estipuladas pelos diversos convênios e suas exigências quanto à capacitação, especialização, bem como das políticas de remuneração adotadas;
  3. Adotar um alto padrão de atendimento e profissionalismo, sem descuidar dos importantes
    aspectos da qualificação e especialização profissional, são fatores que à médio e longo prazos, tenderão a consolidar prestígio da Central de Vacinação e de seu titular com resultados financeiros compensadores;
  4. Cuidar da parte social do empreendimento, disponibilizando, sempre que possível, horários para atendimentos filantrópicos, caso não esteja conveniado junto à entidades de assistência pública.
VOCÊ VIU?  Aluguel de brinquedos, ganhe dinheiro com brinquedos

Calendário de vacinação infantil

  • Ao nascer – BCG + Hepatite B
  • 1 mês – Hepatite B
  • 2 meses – Tríplice Bacteriana (DPT ou DTPac**) + Pólio Oral + Haemóphilus B
  • 4 meses – Tríplice Bacteriana (DPT ou DTPac**) + Pólio Oral + Haemóphilus B
  • 6 meses – Tríplice Bacteriana (DPT ou DTPac**) + Pólio Oral + Haemóphilus B + Hepatite B
  • 9 meses – Sarampo
  • 15 meses – Tríplice Bacteriana (DPT ou DTPac**) + Pólio Oral + Haemóphilus B + Tríplice Viral
  • 4 a 6 anos – Tríplice Bacteriana (DPT ou DTPac**) + Pólio Oral
  • 7 a 10 anos – BCG
  • A partir de 12 anos – Tríplice Viral

(*)   Esta dose pode ser desnecessária, caso seja aplicada a vacina Ped-Vax (MSD)
(**) DTPac – Vacina Tríplice Bacteriana Acelular – menor intensidade de efeitos colaterais.

As vacinas contra Hepatite A e Varicela (catapora), devem ser aplicadas quando possível, nas crianças a partir de 1 ano de idade.

A vacina contra a gripe, quando houver necessidade, pode ser aplicada nas crianças acima de 6 meses de idade.

A vacina contra a Meningite só é indicada em casos de epidemias.

Calendário para vacinação de adolescentes e adultos

  • DUPLA TIPO ADULTO (Tétano e Difteria) – Deve ser aplicada de 10 em 10 anos.
  • HEPATITE B(*) – Pode ser aplicada em qualquer idade:
    É composta de 3 doses: 1ª dose – 2ª dose 30 dias após a 1ª –
    3ª dose 60 dias após a 1ª
  • HEPATITE A(*) – Pode ser aplicada em qualquer idade, a partir de 1 ano. É composta de 3 doses: 1ª dose – 2ª dose 30 dias após a 1ª – 3ª dose 60 dias após a 1ª
  • ANTI-PNEUMOCÓCICA – Deve ser aplicada nos seguintes casos:
    Pessoas que retiraram o baço; Pessoas infectadas pelo HIV; Alcoólatras; Diabéticos; Pessoas com Câncer, etc.
  • VARICELA(catapora) – A partir de 13 anos de idade; Duas doses com intervalo de 4 a 8 semanas
  • TRIPLÍCE VIRAL(Sarampo, Rubéola e Cachumba) – Deve ser aplicada nas pessoas que não tiveram nenhuma das 3 doenças e não receberam a vacina na infância, principalmente mulheres na idade fértil.
  • RUBEÓLA – Deve ser aplicada nas pessoas que não tiveram a doença, principalmente nas mulheres em idade fértil, para prevenir a rubéola congênita.
  • SARAMPO – Deve ser aplicada nas pessoas que não tiveram a doença.

(*) Já existe à disposição a vacina contra Hepatite B para uso das pessoas em programas de hemodiálise. (Recombivax 40mg – MSD)
(**) Caso seja aplicada a vacina Vaqta (MSD), só são necessárias 2 doses, com intervalo de 6 meses

Vacinas recomendadas para a 3ª idade

  • Influenza (gripe) – Deve ser aplicada anualmente
  • Anti-Pneumocócica – Maiores de 65 anos, deve ser repetida a cada 5 anos
  • Haemóphilus B – Maiores de 65 anos.
  • Dupla tipo adulto – Aplicação de 10 em 10 anos.
VOCÊ VIU?  Como fazer joias, processos de fabricação de joias

Além das vacinas recomendadas acima, as pessoas da 3ª idade, podem também ser vacinadas contra Hepatite A e Hepatite B.

Software para gerenciamento de clinica de vacinação: http://www.cevacin.com.br

Referências:

SebraeIBGEDIEESEIPTInstituto DatafolhaInstituto IBOPEWikipédia, Jornal EstadãoJornal Folha de S.PauloJornal O Globo, Revista Exame, Revista Veja, MAPA, MCTI, MDA, MDIC, MMA, MME, MTE.

Copyright © Emprega Brasil – É proibido a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização.

Emprega Brasil

Emprega Brasil, site de empregos, trabalho e renda.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *